quarta-feira, julho 24, 2024

HomeCasa e DecorCASA E DECOR: A vez da TECNOLOGIA NA CONSTRUÇÃO

CASA E DECOR: A vez da TECNOLOGIA NA CONSTRUÇÃO

Nos últimos 15 anos, pesquisadores estão se dedicando cada vez mais a desenvolver novas tecnologias da construção. O propósito é criar produtos resistentes, leves, econômicos e sustentáveis.

O esforço desses cientistas resultou em materiais com atributos impressionantes, que incluem até autorregeneração. Essas inovações permitem vislumbrar grandes possibilidades para o futuro da construção civil.

A seguir, apresentaremos uma lista com algumas das tecnologias da construção mais promissoras na atualidade. Alguns desses itens foram inspirados na matéria de David Ross para o site HowStuffWorks.

CONCRETO INTELIGENTE
O concreto é o segundo material de construção mais utilizado no mundo, perdendo somente para a água. Estima-se que, anualmente, sejam consumidas 11 bilhões de toneladas de concreto. Torná-lo uma substância mais resistente aumentaria não apenas a segurança de edificações e pavimentos, mas também reduziria os impactos ambientais gerados pela fabricação do produto.  Nos últimos dez anos pesquisadores vêm desenvolvendo novas tecnologias para aprimorar o concreto. Em 2010, um professor de engenharia química da Universidade de Rhode Island criou um novo tipo de concreto “inteligente”. Ele é capaz de “curar” suas próprias rachaduras. Funciona da seguinte forma: são adicionadas ao concreto minúsculas cápsulas de silicato de sódio. Elas se rompem com a formação de uma rachadura, preenchendo a fissura com uma substância similar ao gel.

CONSTRUINDO COM CO2
Anualmente, cerca de 30 bilhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) são despejadas na atmosfera por automóveis e fontes industriais que utilizam combustíveis fósseis. Você já imaginou que incrível possibilidade “sequestrar” esse gás poluente da atmosfera e transformá-lo em material de construção? Pois uma equipe de pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) usou levedura geneticamente modificada para fazer isso! Os pesquisadores se inspiraram em um molusco chamado abalone. Assim como outros crustáceos, ele pode transformar CO2 e minerais do oceano em carbonato de cálcio para construir suas conchas. Os pesquisadores isolaram a enzima que o abalone usava com o objetivo de mineralizar o CO2 e adicionaram fermento para produzir carbonato sólido. De acordo com notícia publicada no site MIT News, um copo cheio de fermento geneticamente modificado e ½ quilo de CO2 podem produzir 1 kg de carbonato sólido. A ideia é que, no futuro, esse material seja empregado na indústria da construção civil.

NANOTUBOS DE CARBONO
O nanômetro é uma unidade de medida: 1 nanômetro equivale a um 1 bilionésimo de metro. Usando técnicas como a litografia de feixe de elétrons, cientistas e engenheiros conseguiram criar tubos de carbono com paredes de apenas 1 nanômetro de espessura. Além de serem inacreditavelmente pequenos, esses tubos podem ser esticados 1 milhão de vezes mais do que sua espessura. Também são tão leves e fortes que podem ser encaixados em outros materiais de construção, como metais, concreto, madeira e vidro, para torná-los mais resistentes ao atrito. Os engenheiros estão, inclusive, experimentando monitorar com sensores de nanoescala as tensões dentre os materiais de construção para prevenir a formação de rachaduras.

ALUMÍNIO TRANSPARENTE
Também chamado de ALON, o alumínio transparente é uma das tecnologias da construção que está sendo usada por militares na fabricação de janelas blindadas e lentes ópticas. Desde a década de 1980, os cientistas vêm pesquisando um novo tipo de cerâmica, feita com pó de alumínio, oxigênio e nitrogênio. Nesse caso, o pó de alumínio é aquecido durante 2 dias a 2 mil graus Celsius e, depois, polido. O resultado é um material transparente como o vidro e resistente como o alumínio.

CONCRETO PERMEÁVEL
A impermeabilização do solo é um grande problema nas cidades. Nos dias de chuva, a pavimentação impede que a água seja absorvida pelo solo. Quando o sistema de drenagem é deficiente, a dificuldade de escoamento se agrava, gerando alagamentos. Além disso, a água da chuva “lava” os poluentes depositados no asfalto, como gasolina e produtos químicos, encaminhando-os diretamente para córregos e esgotos. Essa é uma das causas da poluição dos recursos hídricos. Por outro lado, os microorganismos e raízes presentes no solo podem absorver quantidades significativas dessas toxinas. Dessa forma, o concreto permeável ou poroso surge como uma das soluções para esses efeitos da urbanização. Ele é feito com grãos de rocha e areia que mantêm de 15% a 35% de abertura no pavimento. As lajes de concreto permeável são colocadas sobre o cascalho ou outro material poroso, permitindo que a água da chuva seja absorvida pelo solo

AEROGEL
O aerogel é uma das substâncias mais leves do planeta. Sua densidade é de 15 a 3 vezes maior que a do ar e e assemelha-se a uma espuma [fonte: Aerogel.org]. Além disso, pode aguentar até 45 mil vezes seu próprio peso. Esse material é fabricado por meio da remoção do líquido contido em um gel, mantendo somente a estrutura sílica. Ela é composta de 90% a 99% de ar. De acordo com Martin LaMonica, do site de notícias CNET, o tecido de aerogel mostrou poder isolante até 4 vezes maior em comparação à fibra de vidro ou à espuma. Quando o material atingir um preço mais acessível, essa propriedade superisolante poderá beneficiar muitos os projetos de construção.

Posts semelhantes

Posts recentes