quinta-feira, maio 23, 2024

HomeMotorConheça o novo Spin

Conheça o novo Spin

Chevrolet revela primeiras imagens do monovolume que chega às lojas em julho

A Chevrolet divulgou um teaser oficial da reestilização do Spin, monovolume que foi lançado em 2012. A imagem revela a grade e o farol do Spin 2019, que na prática repete o que pode ser visto no sedã Cobalt reestilizado. Na dianteira, a “reforma” ainda abrange o capô e o para-choque. Atrás, a principal mudança poderá ser vista nas lanternas, que serão horizontais e invadem a tampa do porta-malas, mas o para-choque também terá novas linhas. A versão Activ ficará menos aventureira, com a perda do estepe fixado na tampa traseira, mas vai conservar a maior altura em relação ao solo e os pneus de uso misto.

Se a beleza nunca foi o forte do Spin (estranhamento seu apelido é capivara, que é um bichinho tão simpático), espaço é o que não falta, com direito a versão de sete lugares, e esse é um dos segredos do modelo, um dos preferidos dos taxistas. Não espere grandes novidades sob o capô, que vai continuar com o mesmo motor 1.8 flex, com até 111cv de potência e 17,7kgfm de torque (abastecido com etanol), com opções de câmbio manual ou automático, ambos de seis marchas.

A marca americana se referiu ao novo Spin como o maior lançamento comercial do ano, prometendo um produto completamente repaginado para se adequar às atuais demandas do consumidor, “com visual sofisticado e esportivo, alinhado com o atual DNA de design da Chevrolet no mundo”. O modelo chega às concessionárias no segundo semestre, provavelmente em julho.

O Spin chegou ao mercado brasileiro com a difícil missão de substituir o Meriva (cinco lugares) e o Zafira (sete lugares), e na ponta do lápis, não substituiu à altura, perdendo em design, praticidade e acabamento. Atualmente, não há um grande mercado para os monovolumes, e o Spin está na 32ª colocação no ranking de emplacamentos da Fenabrave. Hoje, o modelo é vendido a partir de R$ 62.350 na versão de entrada LS. A versão de sete lugares é a LTZ, vendida a partir de R$ 72.890. Já a versão de topo é a aventureira Activ, que custa R$ 76.950, e traz câmbio automático.


Fabricação de motocicletas cresce 24,3%

A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) divulgou nesta semana os dados referentes ao número de motocicletas fabricadas no país no mês de maio. Segundo o órgão, a produção de motos apresentou um crescimento de 24,3 quando comparado com o mesmo período do ano passado.

O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, conta que os números são resultados de um crescimento significativo no setor. “O que mais assistimos neste período foi a contínua ascensão dos negócios no mercado nacional e tudo indica que as projeções serão revisadas para cima”, completa.  Segundo o presidente, a recuperação do setor também reflete nas vendas no atacado, feitas pelas fabricantes às concessionárias. Ao todo, foram vendidas 87.939 motocicletas no mês de maio, apresentando uma alta de 29,6% sobre o mesmo período em 2017, que alcançou 67.859 unidades.

No acumulado, o cenário também foi de crescimento: 16,1%, sendo 400.478 motocicletas enviadas às lojas neste ano ante 345.019 em 2017. Dentre os modelos mais comercializados estão a Street, em primeiro lugar, com 49,7% (43.726 unidades), seguida da Trail com 22,1% (19.445), Motoneta com 15,2% (13.368), Scooter com 7,5% (6.576) e Naked com 1,7% (1.497).

Posts semelhantes

AutoPlus Ford

Classificados RD

Posts recentes