terça-feira, abril 23, 2024

HomeEsportesEM BUSCA DA FINAL

EM BUSCA DA FINAL

Atlético-PR e Fluminense fazem confronto entre as melhores campanhas da Sul-Americana. Equipes brasileiras brigam por vaga na final e também para demonstrar quem é a melhor. Flu tem pequena vantagem em vitórias, e Furacão é artilheiro

Atlético-PR e Fluminense se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45, na Arena da Baixada, pelo jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana e colocam em choque as melhores campanhas da competição. Os times brasileiros têm o mesmo número de vitórias, mas a equipe carioca leva vantagem por ter perdido apenas uma vez, enquanto o clube paranaense tem duas derrotas.

Os números dos semifinalistas brasileiros são bem parecidos. O Tricolor sai na frente até aqui, mas por muito pouco. Em oito partidas, foram seis vitórias, um empate e uma derrota. O Furacão, por outro lado, tem as mesmas seis vitórias e duas derrotas.

Na defesa e no ataque, os clubes também tiveram desempenhos semelhantes. O time carioca marcou 12 vezes e sofreu três gols (saldo 9), com a melhor defesa entre os semifinalistas, enquanto o time rubro-negro balançou as redes em 15 oportunidades, tendo o melhor ataque do torneio, com cinco gols sofridos (saldo 10). Nikão e Pablo, com três gols, e Digão, Gum e Pedro (lesionado), com dois, são os principais marcadores de cada time.

TRAJETÓRIA
A trajetória de cada um até a semifinal passa por momentos marcantes. O Fluminense, na primeira fase contra o Nacional Potosí, da Bolívia, saiu com boa vantagem de 3 a 0, mas quase se complicou na partida de volta ao sofrer sua única derrota no torneio, por 2 a 0, e com bastante sofrimento até o apito final. Após duas classificações tranquilas diante de Defensor e Deportivo Cuenca, com quatro vitórias, o time voltou a ter trabalho nas quartas de final frente ao Nacional, do Uruguai, carimbando a passagem de fase com vitória heróica fora de casa por 1 a 0 após tropeçar por 1 a 1 no Nilton Santos.

O Atlético-PR, diante de Newell’s Old Boys, da Argentina, e Peñarol, do Uruguai, com vitórias e atuações brilhantes, foram os pontos altos dentro da Sul-Americana. O time paranaense fez 3 a 0 na equipe argentina em casa e goleou o tradicional clube uruguaio por 4 a 1 fora de casa. Nas quartas de final, entretanto, também teve sufoco. O Furacão passou pelo Bahia com desempenhos irregulares, vencendo por 1 a 0 na Arena Fonte Nova e perdendo por 1 a 0 na Baixada, e classificado nos pênaltis por 4 a 1. No total, a equipe baiana teve três gols anulados, dois com auxílio do VAR, em Salvador, e um por falta duvidosa antes do gol, quando as partidas estavam 0 a 0.

TÉCNICOS
Outra curiosidade é de que ambos começaram com um técnico e terminarão com outro. Abel Braga saiu para a vinda de Marcelo Oliveira no Flu. Fernando Diniz caiu para a entrada de Tiago Nunes, então treinador dos aspirantes do Rubro-Negro.

Furacão e Tricolor possuem sete participações na Sul-Americana. A melhor campanha atleticana foi em 2006, quando também chegou à semifinal, mas foi eliminado pelo Pachuca, do México, com derrotas por 1 a 0 na Baixada e 4 a 1 no estádio Hidalgo.

O Fluminense foi finalista em 2009, mas ficou com vice-campeonato contra o carrasco LDU, do Equador, ao ser derrotado por 5 a 1 no estádio Casablanca e vencer por 3 a 0 no Maracanã. O time equatoriano também tinha ficado com o título contra a equipe brasileira em 2007, pela Taça Libertadores.

 

Posts semelhantes

Posts recentes