domingo, abril 21, 2024

HomeEsportesEstudo põe Brasil como vice da Espanha

Estudo põe Brasil como vice da Espanha

Projeção do Centro Internacional de Estudos do Esporte foi feita por análise da performance dos jogadores convocados em 2017 para o Mundial da Rússia e ignorou Neymar na Seleção Brasileira

O Centro Internacional de Estudos do Esporte (CIES) divulgou uma projeção sobre os resultados da próxima Copa do Mundo em que põe o Brasil como vice e a Espanha campeã em 2018, na Rússia. Para se chegar ao palpite, foram levados em consideração a atuação dos 23 jogadores mais convocados de cada time desde julho de 2017, seus desempenhos pelos respectivos clubes e minutos em campo para definir uma linha de favoritismo. “Nós nos baseamos nos jogadores que disputaram as partidas durante as eliminatórias. Nós olhamos se jogam nos clubes e em qual estão atualmente. Com isso, construímos um indicador que nos permite avaliar como estão as equipes envolvidas na competição. Nesse levantamento, o Brasil está indo muito bem para a Copa, em segundo lugar, atrás da Espanha”, disse Roger Besson, pesquisador do CIES.

A lesão de Neymar e sua ausência dos campos pesou no estudo. Parado desde o fim de fevereiro, o craque deve voltar aos campos em maio, ainda que não esteja certo se a tempo de participar dos últimos compromissos do Paris Saint-Germain na temporada. “Claro que levamos em conta a porcentagem de tempo de jogo, e Neymar não joga mais faz um ou dois meses. Obviamente, isso faz baixar porque ele jogava todas as partidas e tinha um tempo enorme de jogo pelo seu clube na primeira parte da temporada. E depois ele não jogou mais. Fez uma pequena diferença, mas não suficiente para ultrapassar a Espanha”, justificou o pesquisador.

Campeã em 2014, a Alemanha terminaria em quarto lugar, segundo a projeção, atrás da França. As outras seleções que chegariam até as quartas seriam Inglaterra, Bélgica, Argentina e Croácia. Portugal e Suíça iriam parar nas oitavas, assim como anfitriã Rússia, Polônia e Sérvia. As outras 16 seleções não passariam da primeira fase. O pior desempenho seria do Panamá. “Todos os jogadores que fazem parte dos 23 mais utilizados durante as eliminatórias jogam em grandes clubes e são regularmente colocados em campo. É muito difícil achar um jogador que não siga esse perfil. O Brasil também tem um excelente elenco, assim como outras grandes nações. Tem a França, a Alemanha… Nós encontramos sempre os mesmos países, mas com base nesses indicadores, mas com bases comparáveis com as equipes emergentes”, explicou  Roger Besson.

O CIES é um centro de estudos independente localizado em Neuchâtel, na Suíça. Criado em 1995 como uma joint venture entre a Fifa, universidade e governo da região. O Master da entidade que organiza o futebol mundial, inclusive, é ministrado na instituição. “O que é interessante é ter a capacidade de ter um olhar externo, sem muita influência, analisar as questões e dividir. Sem dizer que vamos mudar o mundo do futebol, é sempre interessante ver as pessoa ligadas ao observatório, através de dirigentes, treinadores, que reconhecem o nosso trabalho e dizem que o que fazemos aqui permite tomadas de decisão, novas reflexões sobre o esporte”, disse o pesquisador Loic Ravenel a respeito do papel do CIES no mundo do futebol atualmente.

Posts semelhantes

Posts recentes