sexta-feira, julho 12, 2024

HomeColuna Saca RolhaSaca Rolha: Você já viu vinho de cor laranja?

Saca Rolha: Você já viu vinho de cor laranja?

Foto Divulgação

Embaixada da Geórgia promove interação com evento de vinhos brasileiros em Brasília e apresenta o Kisi, seu emblemático vinho alaranjado que agora estará à venda no Brasil por meio da importadora Wine 7, de Goiânia.

Rodrigo Leitão
De Brasília

Na última semana, tive a oportunidade de experimentar o vinho laranja da Geórgia, a primeira região produtora de vinhos do mundo, há mais de 8 mil anos. Trata-se da região do Cáucaso (nossa origem humana é caucasiana!), onde o vinho surgiu e se espalhou pelos reinos médio orientais e ocidentais.

Estive na Embaixada da Geórgia, na comemoração da data nacional daquele país, dia 30 de maio, cujo povo é alegre e brincalhão como o brasileiro. Foram servidos quatro vinhos orgânicos, sem adições de produtos químicos e ou industrializados que a importadora Wine 7 está trazendo para o Brasil e que estarão sendo lançados, com estande especial, na nona edição do Brinda Brasil – Salão do Espumante Brasileiros, Vinhos e Bebidas Especiais que eu e minha esposa, Silmara Stoffel, promovemos em Brasília e Goiânia.

O primeiro é um branco, no estilo Chablis francês, sem passagem por madeira e ótimo para acompanhar frutos do mar, pescados, peixes assados e molhos brancos, queijos leves e macios. É o Tbilisi Vinho Branco 2016, que custa R$ 62, elaborado com uva Rkatsiteli, autóctone daquele país. Tem um volume de álcool na casa de 12% por litro e deve ser servido a uma temperatura de 10 graus. É um vinho frutado, com cítricos e muito palatável. Elevada acidez que permite até o acompanhamento de peixe frito. Além de frango cozido ou salada de frango.

Em seguida foi servido o vinho rosé. Muito bom. Feito com a tradicional uva Saperavi, a grande uva da Geórgia, que lembra as leves uvas italianas. O Vinho Rosé Georgiano Saperavi, produzido pela vinícola Tbilvino tem cor dos rosés portugueses, um tom mais forte, mas na boca lembra muito os provençais franceses. Com uma boa acidez e muita cereja e framboesa, esse vinho combinou perfeitamente com um tartar de salmão defumado que estava sendo servido no coquetel. Custa R$ 75,00 e você pode comprar pela importadora Wine 7 (https://www.wine7.com.br).

Foto Divulgação

KISI
Mas o grande lançamento da temporada georgiana no Brasil é o vinho Kisi, conhecido como vinho laranja. Na verdade ele é âmbar, como está estampado no próprio nome: Qvevri KISI 2015 – Amber Wine. Custa R$ 198,00 aqui no Brasil, mas lá sai por 10 euros. Os impostos elevam esse valor em 17 vezes, na comparação pela paridade monetária, quando se compara a unidade da moeda e não o seu valor no mercado mundial. Isso não ocorre nos demais países que importam vinhos.

Totalmente orgânico, o Kisi do leste da Geórgia, com uvas do mesmo nome selecionadas de acordo com o tradicional método milenar Kakhetian em Ânforas de Terracota, chamadas de QVEVRIS, é feito para acompanhar a boa mesa. Fica muito bom com paella, massas com trufas, carne de cordeiro e churrasco. Isso porque, apesar de sua acidez equilibrada, é um vinho cuja maceração permite enaltecer os taninos. E é esta maceração que lhe dá a cor incomum.

Estes vinhos são produzidos a partir do método original, o Qvevri, cujos vasos são enterrados no chão. Essa produção se dá por meio de armazenamento do vinho em ânforas, como na época em que se iniciou este processo, onde ocorre a fermentação. As leveduras orgânicas da pele muito suave das uvas georgianas, provoca uma fermentação que permite usar essas peças de barro para elaborar o vinho.

Os aromas de pinho, pêra, damasco e marmelo se repetem no final de boca. Beba refrigerado como aperitivo ou como parceiro de pratos de frutos do mar. Com teor alcoólico de 13%, alternativamente, o vinho de laranja combina bem com pratos condimentados de frango. Sirva a 14 graus.

TINTO
A uva Saperavi deu muitos prêmios ao vinho tinto servido pelo embaixador da Geórgia, Sr. David Solomonia, o rótulo Saperavi Vinho Tinto Georgia 2016. Também produzido ao leste do país, esse vinho é excelente para acompanhar uma costelinha de porco, além de carne vermelha com pouca gordura. Pela sua leveza considero aí uma harmonização muito boa com os peixes de rio brasileiros, que são mais gordurosos, como se faz na Borgonha com os Pinot Noir e os pescados fluviais.

O vinho Saperavi revela aromas de uvas frescas, cerejas e baunilha. Combina perfeitamente com as notas de carvalho destacadas por sua coloração vermelho intenso. De final longo e com notas de amora doce, o Saperavi Tinto Seco deve ser servido a uma temperatura de 16 graus. Seu teor alcoólico é de 13% e custa R$ 128,00.

Posts semelhantes

Posts recentes