sábado, julho 13, 2024

HomeEsportesTorcida apoia jogadores do Figueirense

Torcida apoia jogadores do Figueirense

Após W.O. em Mato Grosso, equipe de Florianópolis desembarca no aeroporto sob aplausos dos torcedores. Capitão da equipe, Zé Antônio, explicou a decisão de não entrar em campo contra o Cuiabá, depois que a diretoria se negou a dar garantias financeiras ao elenco. Jogadores temem demissões

O elenco do Figueirense retornou para Florianópolis após o W.O. sofrido contra o Cuiabá. Os jogadores não entraram em campo em protesto pelos atrasos salariais no clube. No desembarque, na manhã desta quarta-feira, a delegação foi recebida por cerca de 30 torcedores, que cantaram músicas de apoio.

Capitão do time, o volante Zé Antônio atendeu à imprensa ao lado de outros companheiros do clube. Ele falou sobre a decisão do elenco de não entrar em campo.

“Ontem foi um dia difícil. Não foi fácil tomar a decisão que a gente tomou, tenham certeza disso. Foi com dor no coração que tomamos. A situação é muito difícil. As pessoas julgam, apontam o dedo, fazem retaliações, incitam violência, como alguns estão fazendo em redes sociais, mas a gente está aqui porque não tem nada para esconder de ninguém. Aqui tem homens, pais de família. Tudo que quiserem saber da minha parte é um livro aberto”, disse o atleta.

QUEDA DE BRAÇO
Após o desembarque, os jogadores foram de ônibus até o estádio Orlando Scarpelli. O grupo espera uma definição sobre a atual situação antes de tomar uma nova atitude na queda de braço entre diretoria e elenco.

No desembarque, Zé Antônio foi questionado sobre uma possível demissão em massa de jogadores do Figueirense. A informação que circula, extraoficialmente, é que a diretoria prepara a rescisão de contrato com oito atletas e contará com o empréstimo de jogadores de outros clubes para a sequência da Série B. “Chegou pela imprensa, nada concreto. A gente não espera muita coisa diferente disso”, disse o capitão e porta-voz da equipe.

CRISE
O direito de imagem do elenco não é pago desde maio, enquanto o mês de julho, referente ao vencimento em carteira, também está pendente. Há, ainda, o não recolhimento de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Denis conseguiu a rescisão indireta com o Figueirense no início do mês por este motivo. Dias depois, o clube derrubou a liminar concedida ao goleiro.

Uma notificação extrajudicial, assinada por 31 jogadores, foi enviada ao presidente da Elephant (gestora do futebol do clube), Cláudio Honigman, no domingo. Nela, o elenco manifestou a intenção de não treinar ou jogar até que os acertos sejam realizados. O clube, por outro lado, trata a paralisação como “falta ao trabalho”.

REDES SOCIAIS
Pelas redes sociais, os atletas se manifestaram. Na sexta, foi postada a imagem do escudo do Figueirense num fundo preto e a frase: “Paramos hoje, pela sobrevivência do amanhã”. No dia seguinte, a mensagem relatou pressão e ameaça da diretoria para a retomada dos treinamentos. Além disso, todos colocaram a frase “somos todos líderes”.

Em julho, o elenco ficou sem treinar por alguns dias pelo mesmo motivo. Na ocasião, o presidente prometeu quitar as pendências financeiras. A promessa evitou a possibilidade de W.O. diante do Vitória. Em seguida, a Elephant assinou um termo de compromisso com o Conselho Deliberativo do clube, garantindo que os atrasos iriam acabar. O aditivo no contrato não teve os termos divulgados.

Posts semelhantes

Posts recentes